HÁ UM BLOQUEIO ENTRE A CÂMARA MUNICIPAL E A COMUNIDADE DO NOSSO CONCELHO

Categoria: Notícias, PSD Paços de Ferreira

Estamos no mês de abril, o mês da liberdade!
Em democracia, quem tem a obrigação de assegurar a liberdade, conquistada no 25 de Abril, são em primeira mão os políticos que exercem cargos públicos, sejam eles de governação nacional, sejam de governação autárquica, quer ao nível dos concelhos quer ao nível das freguesias.

Se durante os primeiros anos da governação socialista o Dr. Humberto Brito, procurava dar uma imagem de “cordeiro”, de democrata, com disponibilidade para ouvir os outros e até debater opiniões, hoje, já não faz o mínimo esforço para esconder a sua verdadeira génese política de déspota e não hesita em revelar a sua verdadeira “pele de lobo”.
Não precisamos de fazer um grande esforço para identificar nas ações políticas do atual presidente da câmara tiques de autoritarismo e de “lobo que veste a pele de lobo”

O concelho sabe perfeitamente que a incapacidade de dialogar e a obsessão pela imposição das suas ideias, mesmo que contrárias ao normal funcionamento das instituições, ditaram o afastamento do Dr. Ricardo Pereira da Assembleia Municipal e o afastamento do Dr. Paulo Sérgio das funções de Vereador e de vice-presidente. Hoje, são cada vez mais os exemplos de pessoas que se afastaram do Dr. Humberto Brito depois de o conhecerem melhor.
O concelho conhece perfeitamente a chantagem política que é feita aos presidentes de alguns clubes desportivos onde foi prometido fazer novas instalações desportivas ou onde foi anunciada a instalação de sintéticos, para serem candidatos pelo Dr. Humberto Brito, às respetivas juntas de freguesia.

Recentemente tivemos mais um episódio que espelha bem o que é um verdadeiro déspota político. Foi celebrado um contrato de prestação de serviços entre a Câmara Municipal e um jovem de Freamunde para desempenhar funções como assessor na área da cultura e quando o atual presidente da câmara soube que o jovem disse publicamente que o que o movia era a cultura e não a política ou os partidos, foi imediatamente despedido.

O atual presidente da Câmara criou um irreparável bloqueio entre a Câmara Municipal e a comunidade do nosso concelho que atrasa o seu desenvolvimento.